Notáveis discutem futuro do autódromo de Cascavel

Um grupo de notáveis da sociedade de Cascavel composto por empresários, desportistas e políticos se reuniu em um jantar na noite de segunda-feira (5) no salão de festa do edifício Vila Borghesi, tendo como anfitrião o ex-piloto e advogado Roberto Wypych, para debater o futuro do autódromo de Cascavel.

Os assuntos dominantes foram a revitalização do Autódromo Zilmar Beux, a participação do Instituto Jaci Pian neste processo, o museu que se pretende construir no autódromo e claro, a privatização ou como alguns preferem chamar, repasse a iniciativa privada.

Participaram do jantar Leonaldo Paranhos (prefeito de Cascavel), Pedro Muffato (ex-prefeito de Cascavel e ex-piloto), Alécio Espínola (presidente da Câmara de Vereadores), Renato Pompeu (presidente do Automóvel clube de Cascavel), Juraci Massoni (ex-presidente do Automóvel Clube de Cascavel), Jaci Pian (presidente do Instituto Jaci Pian, o ex-piloto e administrador do autódromo) e Roberto Wypych (ex-piloto e anfitrião do jantar). Também participaram Silvio Inomata, Beto Pompeu, Ângelo Giombelli, Valdir Favarin, Milton Sperafico (toledano, mas com influência em todo o País), Rafael Cabral, Victor Bertolucci e Alberto Cirico.

O que se espera é que este jantar seja o ponta pé para que se resolva de vez a falta de investimento no autódromo, que Cascavel assuma de vez que o automobilismo foi, é e será a mais importante ferramenta de marketing da cidade. Cascavel é conhecida nacionalmente e no exterior graças ao autódromo. Fala-se que a privatização é a solução e no jantar aventou-se que uma distribuidora de combustível da cidade irá usar seu poder para atrair uma petroleira como investidora na privatização. No entanto, um dos participantes do jantar, que pediu para que não seja identificado, defende a ideia de que a Prefeitura faça obras necessária no momento e repasse a administração para o Automóvel Clube de Cascavel, entidade sem fins lucrativos, com mais de 50 anos de existência, e que por todo este tempo foi o responsável pela existência do automobilismo na cidade. Sempre foi dirigido por pessoas que gostam e amam automobilismo, portanto, pessoas que doarão tempo e até dinheiro para que o autódromo de Cascavel receba as melhorias e venham a ocupar de fato o lugar que merece no cenário nacional. Esta pessoa entende que administrado pelo Automóvel Clube, o patrimônio continua sendo da Prefeitura, e assim poderia receber investimento privado, através de publicidade por tempo correspondente ao investido, e também poderia receber recursos públicos oriundos da própria Prefeitura, do governo do Estado e do Governo Federal (dos ministérios de Esportes, Turismo, Meio Ambiente e Cultura).

Os assuntos predominantes da noite foram o projeto de revitalização do autódromo, a participação do Instituto Jaci Pian no projeto e a sequência da ideia da Prefeitura de passar a praça esportiva a iniciativa privada.

Com bons projetos, sendo administrado pelo Automóvel Clube, com apoio da Prefeitura, seria possível buscar recursos no Ministério do Esporte (hoje secretaria do Ministério da Cidadania) para investimento na inflaestrutura esportiva; no Ministério do Meio Ambiente para aproveitamento da mata nativa que existe na área, com espécies raras; e nos ministérios de Turismo e Cultura para o Museu, que garantiria a preservação da história do automobilismo e da cidade, e também será ferramenta do turismo.

O importante é que este jantar seja o ponto de partida para que Cascavel assuma de vez que o autódromo pode ser a alavanca para a geração de empregos e de muito progresso para a cidade e região.  (Luiz Aparecido)

Deixe uma resposta