Da Costa faz história em prova que teve acidente impressionante em Interlagos

Gabriel Casagrande venceu a prova principal. Na segunda corrida, português tornou-se o primeiro europeu a ganhar na Stock Car

 

O fã da Stock Car Pro Series curtiu neste domingo mais de uma hora de emoção em duas corridas sensacionais, válidas pela segunda etapa da temporada 2021. A primeira prova foi decidida por apenas meio segundo de diferença entre o vencedor Gabriel Casagrande e o segundo colocado Allam Khodair – com os dois duelando metro a metro nas voltas finais.
Na prova complementar o português António Félix da Costa fez história ao tornar-se o primeiro piloto europeu a vencer na Stock Car, mas com um grande susto no final: na briga pelo segundo lugar, o até então vice-líder Gaetano Di Mauro literalmente levantou voo e bateu violentamente contra a barreira de proteção ao entrar na reta dos boxes “encaixado” entre os carros de Daniel Serra e Guilherme Salas.
A batida destruiu a parte traseira do carro do jovem astro da Stock Car, que sofreu dois choques: primeiro ao atingir o solo e outro ao colidir com violência no muro. Di Mauro foi imediatamente socorrido e levado para o Hospital Santa Maggiori, em São Paulo, pelo helicóptero UTI fornecido pela patrocinadora Prevent Senior, em um trajeto que levou apenas três minutos. Após exames e uma pausa para recuperação, Gaetano postou um vídeo em suas mídias sociais informando que estava bem.

Ataques – Com novo formato, cada corrida em Interlagos contou com 30 minutos + uma volta de duração. Na primeira prova o pole position Gabriel Casagrande largou bem mas foi duramente atacado pela dupla Allam Khodair e Diego Nunes, ambos da equipe Blau Motorsport, que largaram logo atrás e já na Reta Oposta emparelharam com o ponteiro em uma situação bastante crítica na qual Casagrande acabou tocando com ambos – e quem levou a pior foi Nunes, que perdeu várias posições e ficou fora da briga pela liderança.
Nas voltas finais, Casagrande foi informado que receberia 5s de punição pelo toque com Diego – e então começou o duelo no cronômetro contra Khodair, o segundo colocado. No momento da punição, a diferença entre eles era de exatos 5s040 – mas ficou oscilando entre 4s e 6s até o final da prova, dependendo do desempenho dos pilotos em suas tentativas de superar o rival. A vitória chegou a ficar nas mãos de Khodair em duas oportunidades, mas no final Casagrande foi capaz de recuperar o terreno. Na bandeirada, após a aplicação dos 5s de punição, Casagrande venceu a prova por apenas 0s569.

Manobra sensacional – Na segunda corrida, com a inversão dos dez primeiros da primeira prova para compor o grid, a primeira fila foi formada com Galid Osman na pole e Félix da Costa no segundo lugar. Galid manteve a dianteira na largada, com Félix perdendo a posição para o piloto mais jovem do grid, Pedro Cardoso, três voltas mais adiante. Uma volta depois o português também seria superado por Denis Navarro, em uma manobra sensacional que viu o paulista ultrapassar Da Costa e Cardoso na freada do Esse do Senna.
O início dos pit stops obrigatórios, na oitava volta, mudou tudo. Galid perdeu muito tempo em sua parada e saiu da briga pela vitória. Mas Félix conseguiu retornar na dianteira, que manteve até a bandeirada. Nas voltas finais, Daniel Serra, que havia largado em 24º e fazia uma corrida espetacular, passou a duelar com Guilherme Salas pela segunda posição.
Em uma das escaramuças da dupla, Gaetano Di Mauro viu um espaço entre os dois carros e mergulhou para tentar uma ultrapassagem que, se acontecesse, seria heroica. Mas não deu certo. O choque com o Cruze de Salas ergueu a frente do carro de Gaetano, e o fluxo de ar gerado pela alta velocidade fez o resto, jogando o carro do jovem Di Mauro para o alto e, depois, contra o muro.
Com o resultado, Daniel Serra continua na liderança, mas agora com Bruno Baptista na segunda posição depois de obter um terceiro e um décimo lugares em Interlagos. O vencedor da primeira prova, Casagrande, agora está na sexta posição da tabela (confira a pontuação abaixo).
Já Félix da Costa, apesar de ser vencedor legítimo da segunda prova, não terá seus pontos computados no campeonato devido uma cláusula do regulamento que obriga a todos os competidores serem filiados à Confederação Sul-Americana de Automobilismo. Como foi convidado na semana passada para substituir o atual campeão Ricardo Maurício, em convalescência ligada ao covid-19, o piloto português não teve tempo de cumprir essa formalidade. Mesmo assim, com uma atuação de gala, o atual campeão mundial de Fórmula E entrou para a história do automobilismo brasileiro.

Stock Car – Corrida 1
1º – Gabriel Casagrande (A. Mattheis-Vogel/Chevrolet Cruze) – 19 voltas
2º – Allam Khodair (Blau Motorsport/Chevrolet Cruze) – a 0s569
3º – Bruno Baptista (RCM Motorsport/Toyota Corolla) – a 9s042
4º – Cesar Ramos (Ipiranga Racing/Toyota Corolla) – a 10s348
5º – Átila Abreu (Shell V-Power/Chevrolet Cruze) – a 11s355
6º – Diego Nunes (Blau Motorsport/Chevrolet Cruze) – a 12s998
7º – Denis Navarro (Cavaleiro Sports/Chevrolet Cruze) – a 14s224
8º – Pedro Cardoso (KTF Racing/Chevrolet Cruze) – a 16s848
9º – António Félix da Costa (Eurofarma RC/Chevrolet Cruze) – a 17s160
10º – Galid Osman (Shell V-Power/Chevrolet Cruze) – a 17s197
11º – Thiago Camilo (Ipiranga Racing/Toyota Corolla) – a 17s366
12º – Rafael Suzuki (Full Time Bassani/Toyota Corolla) – a 23s874
13º – Christian Hahn (Blau Motorsport II/Chevrolet Cruze) – a 24s733
14º – Guga Lima (A. Mattheis-Vogel/Chevrolet Cruze) – a 31s761
15º – Felipe Massa (Lubrax Podium/Chevrolet Cruze) – a 34s609
16º – Ricardo Zonta (RCM Motorsport/Toyota Corolla) – a 38s183
17º – Julio Campos (Lubrax Podium/Chevrolet Cruze) – a 38s731
18º – Sergio Jimenez (MX Piquet Sports/Toyota Corolla) – a 42s183
19º – Matías Rossi (Full Time Sports/Toyota Corolla) – a 43s187
20º – Felipe Lapenna (Hot Car/Chevrolet Cruze) – a 43s243
21º – Tony Kanaan (Full Time Bassani/Toyota Corolla) – a 47s373
22º – Beto Monteiro (Crown Racing/Chevrolet Cruze) – a 1min11s346
23º – Gustavo Frigotto (RKL/Chevrolet Cruze) – a 1min26s610
24º – Daniel Serra (Eurofarma RC/Chevrolet Cruze) a 1min30s474
25º – Tuca Antoniazi (Hot Car/Chevrolet Cruze) – a 1min45s055
26º – Guilherme Salas (KTF Sports/Chevrolet Cruze) – a 1 volta
27º – Gaetano di Mauro (KTF Racing/Chevrolet Cruze) – a 1 volta
28º – Nelson Piquet Jr. (MX Piquet Sports/Toyota Corolla) – a 1 volta
29º – Lucas Foresti (KTF Sports/Chevrolet Cruze) – a 1 volta

Não completaram
Cacá Bueno (Crown Racing/Chevrolet Cruze)
Marcos Gomes (Cavaleiro Sports/Chevrolet Cruze)
*Excluído*
Rubens Barrichello (Full Time Sports/Toyota Corolla)

Stock Car – Corrida 2
1º – António Félix da Costa (Eurofarma RC/Chevrolet Cruze) – 19 voltas
2º – Daniel Serra (Eurofarma RC/Chevrolet Cruze) – a 2s942
3º – Guilherme Salas (KTF Sports/Chevrolet Cruze) – a 4s815
4º – Ricardo Zonta (RCM Motorsport/Toyota Corolla) – a 1min54s983
5º – Cacá Bueno (Crown Racing/Chevrolet Cruze) – a 1min57s795
6º – Átila Abreu (Shell V-Power/Chevrolet Cruze) – a 1min59s256
7º – Felipe Massa (Lubrax Podium/Chevrolet Cruze) – a 2min00s574
8º – Denis Navarro (Cavaleiro Sports/Chevrolet Cruze) – a 2min01s713
9º – Galid Osman (Shell V-Power/Chevrolet Cruze) – a 2min03s850
10º – Bruno Baptista (RCM Motorsport/Toyota Corolla) – a 2min04s948
11º – Cesar Ramos (Ipiranga Racing/Toyota Corolla) – a 2min06s572
12º – Tony Kanaan (Full Time Bassani/Toyota Corolla) – a 2min07s931
13º – Nelson Piquet Jr. (MX Piquet Sports/Toyota Corolla) – a 2min10s734
14º – Diego Nunes (Blau Motorsport/Chevrolet Cruze) – a 2min12s376
15º – Rafael Suzuki (Full Time Bassani/Toyota Corolla) – a 2min13s270
16º – Thiago Camilo (Ipiranga Racing/Toyota Corolla) – a 2min17s282
17º – Julio Campos (Lubrax Podium/Chevrolet Cruze) – a 2min18s864
18º – Allam Khodair (Blau Motorsport/Chevrolet Cruze) – a 2min20s947
19º – Beto Monteiro (Crown Racing/Chevrolet Cruze) – a 2min21s990
20º – Tuca Antoniazi (Hot Car/Chevrolet Cruze) – a 2min23s330
21º – Matías Rossi (Full Time Sports/Toyota Corolla) – a 2min25s470
22º – Gaetano di Mauro (KTF Racing/Chevrolet Cruze) – a 2 voltas

Não completaram
Gabriel Casagrande (A. Mattheis-Vogel/Chevrolet Cruze)
Gustavo Frigotto (RKL/Chevrolet Cruze)
Pedro Cardoso (KTF Racing/Chevrolet Cruze)
Lucas Foresti (KTF Sports/Chevrolet Cruze)
Felipe Lapenna (Hot Car/Chevrolet Cruze)
Christian Hahn (Blau Motorsport II/Chevrolet Cruze)
Sergio Jimenez (MX Piquet Sports/Toyota Corolla)

Excluído
Guga Lima (A. Mattheis-Vogel/Chevrolet Cruze)

Campeonato após duas etapas:
1º – Daniel Serra – 68
2º – Bruno Baptista – 65
3º – Átila Abreu – 63
4º – Cesar Ramos – 62
5º – Denis Navarro – 58
6º – Gabriel Casagrande – 56
7º – Thiago Camilo – 47
8º – Cacá Bueno – 46
9º – Galid Osman – 45
10º – Diego Nunes – 40
11º – Guilherme Salas – 39
12º – Allam Khodair – 37
13º – Gaetano di Mauro – 34
14º – Ricardo Zonta – 32
15º – Rafael Suzuki – 31
16º – Ricardo Maurício – 29
17º – Pedro Cardoso – 27
18º – Felipe Massa – 22
19º – Julio Campos – 20
20º – Lucas Foresti – 17
21º – Christian Hahn – 13
22º – Tony Kanaan – 11
23º – Nelsinho Piquet – 9
24º – Guga Lima – 8
25º – Sergio Jimenez – 6
26º – Matías Rossi – 4
27º – Beto Monteiro – 3
28º – Rubens Barrichello – 3
29º – Gustavo Frigotto – 2
30º – Felipe Lapenna – 2
31º – Tuca Antoniazi – 1
32º – Marcos Gomes – 1
33º – Max Wilson – 0

Contatos
Rodolpho Siqueira / Bruno Vicaria / Leonardo Marson
(011) 9 5472 0163

Deixe uma resposta