Da Costa faz história em prova que teve acidente impressionante em Interlagos

Gabriel Casagrande venceu a prova principal. Na segunda corrida, português tornou-se o primeiro europeu a ganhar na Stock Car 

 

O fã da Stock Car Pro Series curtiu neste domingo mais de uma hora de emoção em duas corridas sensacionais, válidas pela segunda etapa da temporada 2021. A primeira prova foi decidida por apenas meio segundo de diferença entre o vencedor Gabriel Casagrande e o segundo colocado Allam Khodair – com os dois duelando metro a metro nas voltas finais.

Na prova complementar o português António Félix da Costa fez história ao tornar-se o primeiro piloto europeu a vencer na Stock Car, mas com um grande susto no final: na briga pelo segundo lugar, o até então vice-líder Gaetano Di Mauro literalmente levantou voo e bateu violentamente contra a barreira de proteção ao entrar na reta dos boxes “encaixado” entre os carros de Daniel Serra e Guilherme Salas.

A batida destruiu a parte traseira do carro do jovem astro da Stock Car, que sofreu dois choques: primeiro ao atingir o solo e outro ao colidir com violência no muro. Di Mauro foi imediatamente socorrido e levado para o Hospital Santa Maggiori, em São Paulo, pelo helicóptero UTI fornecido pela patrocinadora Prevent Senior, em um trajeto que levou apenas três minutos. Após exames e uma pausa para recuperação, Gaetano postou um vídeo em suas mídias sociais informando que estava bem.

Ataques – Com novo formato, cada corrida em Interlagos contou com 30 minutos + uma volta de duração. Na primeira prova o pole position Gabriel Casagrande largou bem mas foi duramente atacado pela dupla Allam Khodair e Diego Nunes, ambos da equipe Blau Motorsport, que largaram logo atrás e já na Reta Oposta emparelharam com o ponteiro em uma situação bastante crítica na qual Casagrande acabou tocando com ambos – e quem levou a pior foi Nunes, que perdeu várias posições e ficou fora da briga pela liderança.

Nas voltas finais, Casagrande foi informado que receberia 5s de punição pelo toque com Diego – e então começou o duelo no cronômetro contra Khodair, o segundo colocado. No momento da punição, a diferença entre eles era de exatos 5s040 – mas ficou oscilando entre 4s e 6s até o final da prova, dependendo do desempenho dos pilotos em suas tentativas de superar o rival. A vitória chegou a ficar nas mãos de Khodair em duas oportunidades, mas no final Casagrande foi capaz de recuperar o terreno. Na bandeirada, após a aplicação dos 5s de punição, Casagrande venceu a prova por apenas 0s569.

Manobra sensacional – Na segunda corrida, com a inversão dos dez primeiros da primeira prova para compor o grid, a primeira fila foi formada com Galid Osman na pole e Félix da Costa no segundo lugar. Galid manteve a dianteira na largada, com Félix perdendo a posição para o piloto mais jovem do grid, Pedro Cardoso, três voltas mais adiante. Uma volta depois o português também seria superado por Denis Navarro, em uma manobra sensacional que viu o paulista ultrapassar Da Costa e Cardoso na freada do Esse do Senna.

O início dos pit stops obrigatórios, na oitava volta, mudou tudo. Galid perdeu muito tempo em sua parada e saiu da briga pela vitória. Mas Félix conseguiu retornar na dianteira, que manteve até a bandeirada. Nas voltas finais, Daniel Serra, que havia largado em 24º e fazia uma corrida espetacular, passou a duelar com Guilherme Salas pela segunda posição.
Em uma das escaramuças da dupla, Gaetano Di Mauro viu um espaço entre os dois carros e mergulhou para tentar uma ultrapassagem que, se acontecesse, seria heroica. Mas não deu certo. O choque com o Cruze de Salas ergueu a frente do carro de Gaetano, e o fluxo de ar gerado pela alta velocidade fez o resto, jogando o carro do jovem Di Mauro para o alto e, depois, contra o muro.

Com o resultado, Daniel Serra continua na liderança, mas agora empatado com Bruno Baptista, representante da nova geração que obteve um terceiro e um décimo lugares em Interlagos. O vencedor da primeira prova, Casagrande, agora está na sexta posição da tabela. Já Félix da Costa, apesar de ser vencedor legítimo da segunda prova, não terá seus pontos computados no campeonato devido uma cláusula do regulamento que obriga a todos os competidores serem filiados à Confederação Sul-Americana de Automobilismo. Como foi convidado na semana passada para substituir o atual campeão Ricardo Maurício, em convalescência ligada ao covid-19, o piloto português não teve tempo de cumprir essa formalidade. Mesmo assim, com uma atuação de gala, o atual campeão mundial de Fórmula E entrou para a história do automobilismo brasileiro.

Stock Car – Corrida 1

1º – Gabriel Casagrande (A. Mattheis-Vogel/Chevrolet Cruze) – 19 voltas
2º – Allam Khodair (Blau Motorsport/Chevrolet Cruze) – a 0s569
3º – Bruno Baptista (RCM Motorsport/Toyota Corolla) – a 9s042
4º – Cesar Ramos (Ipiranga Racing/Toyota Corolla) – a 10s348
5º – Átila Abreu (Shell V-Power/Chevrolet Cruze) – a 11s355
6º – Diego Nunes (Blau Motorsport/Chevrolet Cruze) – a 12s998
7º – Denis Navarro (Cavaleiro Sports/Chevrolet Cruze) – a 14s224
8º – Pedro Cardoso (KTF Racing/Chevrolet Cruze) – a 16s848
9º – António Félix da Costa (Eurofarma RC/Chevrolet Cruze) – a 17s160
10º – Galid Osman (Shell V-Power/Chevrolet Cruze) – a 17s197
11º – Thiago Camilo (Ipiranga Racing/Toyota Corolla) – a 17s366
12º – Rafael Suzuki (Full Time Bassani/Toyota Corolla) – a 23s874
13º – Christian Hahn (Blau Motorsport II/Chevrolet Cruze) – a 24s733
14º – Guga Lima (A. Mattheis-Vogel/Chevrolet Cruze) – a 31s761
15º – Felipe Massa (Lubrax Podium/Chevrolet Cruze) – a 34s609
16º – Ricardo Zonta (RCM Motorsport/Toyota Corolla) – a 38s183
17º – Julio Campos (Lubrax Podium/Chevrolet Cruze) – a 38s731
18º – Sergio Jimenez (MX Piquet Sports/Toyota Corolla) – a 42s183
19º – Matías Rossi (Full Time Sports/Toyota Corolla) – a 43s187
20º – Felipe Lapenna (Hot Car/Chevrolet Cruze) – a 43s243
21º – Tony Kanaan (Full Time Bassani/Toyota Corolla) – a 47s373
22º – Beto Monteiro (Crown Racing/Chevrolet Cruze) – a 1min11s346
23º – Gustavo Frigotto (RKL/Chevrolet Cruze) – a 1 volta
24º – Daniel Serra (Eurofarma RC/Chevrolet Cruze) a 1 volta
25º – Tuca Antoniazi (Hot Car/Chevrolet Cruze) – a 1 volta
26º – Guilherme Salas (KTF Sports/Chevrolet Cruze) – a 1 volta
27º – Gaetano di Mauro (KTF Racing/Chevrolet Cruze) – a 1 volta
28º – Nelson Piquet Jr. (MX Piquet Sports/Toyota Corolla) – a 1 volta
29º – Lucas Foresti (KTF Sports/Chevrolet Cruze) – a 1 volta

*Não completaram*

Cacá Bueno (Crown Racing/Chevrolet Cruze)
Marcos Gomes (Cavaleiro Sports/Chevrolet Cruze)
Rubens Barrichello (Full Time Sports/Toyota Corolla)

Stock Car – Corrida 2

1º – António Félix da Costa (Eurofarma RC/Chevrolet Cruze) – 19 voltas
2º – Daniel Serra (Eurofarma RC/Chevrolet Cruze) – a 2s942
3º – Guilherme Salas (KTF Sports/Chevrolet Cruze) – a 4s815
4º – Ricardo Zonta (RCM Motorsport/Toyota Corolla) – a 1min54s983
5º – Cacá Bueno (Crown Racing/Chevrolet Cruze) – a 1min57s795
6º – Átila Abreu (Shell V-Power/Chevrolet Cruze) – a 1min59s256
7º – Felipe Massa (Lubrax Podium/Chevrolet Cruze) – a 2min00s574
8º – Denis Navarro (Cavaleiro Sports/Chevrolet Cruze) – a 2min01s713
9º – Galid Osman (Shell V-Power/Chevrolet Cruze) – a 2min03s850
10º – Bruno Baptista (RCM Motorsport/Toyota Corolla) – a 2min04s948
11º – Cesar Ramos (Ipiranga Racing/Toyota Corolla) – a 2min06s572
12º – Tony Kanaan (Full Time Bassani/Toyota Corolla) – a 2min07s931
13º – Nelson Piquet Jr. (MX Piquet Sports/Toyota Corolla) – a 2min10s734
14º – Diego Nunes (Blau Motorsport/Chevrolet Cruze) – a 2min12s376
15º – Rafael Suzuki (Full Time Bassani/Toyota Corolla) – a 2min13s270
16º – Thiago Camilo (Ipiranga Racing/Toyota Corolla) – a 2min17s282
17º – Julio Campos (Lubrax Podium/Chevrolet Cruze) – a 2min18s864
18º – Allam Khodair (Blau Motorsport/Chevrolet Cruze) – a 2min20s947
19º – Beto Monteiro (Crown Racing/Chevrolet Cruze) – a 2min21s990
20º – Tuca Antoniazi (Hot Car/Chevrolet Cruze) – a 2min23s330
21º – Matías Rossi (Full Time Sports/Toyota Corolla) – a 2min25s470
22º – Gaetano di Mauro (KTF Racing/Chevrolet Cruze) – a 2 voltas

Não completaram

Gabriel Casagrande (A. Mattheis-Vogel/Chevrolet Cruze)
Gustavo Frigotto (RKL/Chevrolet Cruze)
Pedro Cardoso (KTF Racing/Chevrolet Cruze)
Lucas Foresti (KTF Sports/Chevrolet Cruze)
Felipe Lapenna (Hot Car/Chevrolet Cruze)
Christian Hahn (Blau Motorsport II/Chevrolet Cruze)
Sergio Jimenez (MX Piquet Sports/Toyota Corolla)
Guga Lima (A. Mattheis-Vogel/Chevrolet Cruze)
Marcos Gomes (Cavaleiro Sports/Chevrolet Cruze)
Rubens Barrichello (Full Time Sports/Toyota Corolla)


Campeonato após duas etapas:


1º – Daniel Serra – 64
2º – Bruno Baptista – 64
3º – Átila Abreu – 62
4º – Cesar Ramos – 61
5º – Denis Navarro – 57
6º – Gabriel Casagrande – 56
7º – Cacá Bueno – 45
8º – Thiago Camilo – 45
9º – Galid Osman – 43
10º – Diego Nunes – 39
11º – Guilherme Salas – 37
12º – Allam Khodair – 36
13º – Gaetano di Mauro – 34
14º – Ricardo Zonta – 30
15º – Rafael Suzuki – 29
16º – Ricardo Maurício – 29
17º – Pedro Cardoso – 27
18º – Felipe Massa – 20
19º – Julio Campos – 18
20º – Lucas Foresti – 17
21º – Christian Hahn – 12
22º – Tony Kanaan – 9
23º – Nelsinho Piquet – 8
24º – Guga Lima – 7
25º – Sergio Jimenez – 5
26º – Rubens Barrichello – 3
27º – Gustavo Frigotto – 2
28º – Matías Rossi – 2
29º – Beto Monteiro – 2
30º – Marcos Gomes – 1
31º – Felipe Lapenna – 1
32º – Tuca Antoniazi – 1
33º – Max Wilson – 0

Contatos
Rodolpho Siqueira  / Bruno Vicaria / Leonardo Marson
(011) 9 5472 0163

Deixe uma resposta